Logo Vou de Kombi

nosso diário de viagem

04AGO2013

Gaivotas, Baleias e a Casa Pueblo‏

URUGUAI
Gaivotas, Baleias e a Casa Pueblo‏

O sol nos acordou. " Que precioso! " Dizia uma vendedora de artesanato com seu carro parado ao lado do nosso.

Franco fez algumas fotos da ponte, enquanto preparei o carro para andar. Depois, filmamos a Kombi atravessando a ponte. Fotografia feita retornamos a Punta.
Ao chegarmos, uma grata surpresa: domingo de sol bem cedo, perto das 10 h, os uruguaios saem de suas casas, vêm para o mar. Alguns simplesmente observam a paisagem, outros correm, caminham, outros corajosos surfam nas geladas águas do Atlântico. As gaivotas fazem vôos baixos, parecem saber que estão sendo admiradas.

Na faixa que separa a praia da rua, areia ou pedras, nas últimas milhares de conchas abertas formam um espesso tapete, dentre elas muitos ovos de gaivota. O dia esta precioso! Como dizem por aqui.

Na cidade em vários pontos há bancos de praça e neles rapazes com sua cuia de mate descansando ao sol.

Em Playa Brava encontramos um grupo de surfistas que nos indicaram a melhor fronteira para chegar à Argentina por terra. Recomendaram-nos visitar cidade de Dolores.
Foi aqui também que paguei o mico da viagem: vimos muita gente na praia, pensamos: " só pode ser para ver as baleias. Certamente elas estão por aqui. " Desci do carro correndo. Ao longe avistei algo preto que se movimentava na ondas e gritei:
_ Sim, são baleias! São baleias!
Franco retrucou: " Não são baleias! São surfistas!"
Vergonha completa! Dois uruguaios que assistiam ao surf com suas cuias de mate riram muito.


_ No, no son balleñas !
Ops! Ficou decretado o mico do dia.

Da praia brava fomos para a praia dos ingleses e de lá para o Porto ver os leões marinhos. Os bichos são mamados. Grandes e bem acostumados. Logo que os pescadores chegam Ronaldo, o mais gordo deles, lidera o bando que disputa com milhares de gaivota os peixes que caem das redes.

Gaivotas, Baleias e a Casa Pueblo‏

Muitos, muitos uruguaios vêm ao mercado para comprar peixe, observar os lobos ou simplesmente passear. Estando aqui me lembrei um pouco do Curitibano indo a feira do Largo da Ordem num domingo de sol.

Na calçada uma senhora vende pasteis de massa folhada de banana e maçã, assados em forno a lenha. As gostosuras são embaladas individualmente em saquinhos plásticos e expostos numa cesta enfeitada de flores.

Nas poucas horas que estivemos ali, a Alice foi a sensação!
_ Te felicito por su camiñoneta! Mui preciosa!
_ Buena viaje y prosigan desfrutando!

Gaivotas, Baleias e a Casa Pueblo‏

Deixamos o Porto em direção ao paradouro 7 na praia de I'marangatu, nosso lugarzinho preferido para almoçar. Passavam das 14h e estávamos loucos de fome. O cardápio foi arroz, feijão de garrafa e ovo frito (zóião, como o Franco costuma chamar os ovos fritos). Estava delicioso embora parecesse bem pobre se comparado aos lindos camarões vistos no mercado do Porto, mas estávamos felizes.

Gaivotas, Baleias e a Casa Pueblo‏

Almoço feito, cozinha limpa, seguimos rapidamente para pegar o entardecer na Casa Pueblo em Punta Balleñas. No caminho outra surpresa! Vimos a praia mansa cheia de pessoas, muitos carros estacionados. Franco falou: " São as baleias! "
Sim, desta vez eram as baleias!

Corremos para admira-las como todos faziam por ali. Foi uma cena linda de se ver: enquanto as baleias nadavam no oceano exibindo de quando em vez seu corpo e sua bela cauda ( que inspirou creio eu o rabo das sereias), na praia as pessoas permaneciam encantadas, o único movimento que havia era para mudar de lugar acompanhando o nado das baleias.

Chegamos finalmente a Casa Pueblo. Espetáculo de arquitetura feito pelas próprias mãos de Carlos Paez Vilaró, artista plástico uruguaio que foi amigo de Picasso e em cuja casa esteve Vinicios de Moraes. Uma das alas é dedicada a Jorge Amado.

Mas há algo mais em Carlos Paez Vilaró: em 1972 um avião da Força Aérea Uruguaia caiu nos Andes. Nele estava Carlitos Paez, filho de Carlos Paez Vilaró. Carlitos foi um dos dezesseis sobreviventes dos Andes. Para saber mais sobre isso veja o documentário da History : Vivo, o milagre dos Andes.

De um dos alpendres da casa com vistas para o mar celebramos o entardecer ao som de um lindo poema de Vilaró. Era como se o artista estivesse ali, fazendo as honras da casa.

Gaivotas, Baleias e a Casa Pueblo‏

Para a visita ao Museu e às dependências internas da casa paga-se o valor de 15 reais por pessoa.

Gaivotas, Baleias e a Casa Pueblo‏

Maiores informações da CasaPueblo clique aqui.

COMENTÁRIOS

Lima 24/12/2013

desculpe, mas o que é feijão de garrafa...?

Liara Jamili Duarte 30/08/2013

Muito dez! Também estava em Punta nesse domingo, passeando com meu namorado! Vimos a kombi estacionada na praia (e você tirando fotos em um deck) e na casa pueblo, inclusive tiramos foto da Alice! Ficamos curiosos, anotei o site, só lembrei de acessar agora! Parabéns pelo projeto de vocês, sucesso!

COMENTE!

Criação de Sites: Trupe Agência Criativa Trupe Agência Criativa